Copa Verde une esporte e sustentabilidade

Dezoito times. Trinta e quatro partidas. Vinte e dois mil torcedores. Duas toneladas e meia de resíduos coletados. Mil e quinhentas árvores plantadas. Carbono zero! Esta é a dimensão da Copa Verde quando se fala em unir esporte e sustentabilidade. Em sua quarta edição, o torneio entre times do Espírito Santo, Centro-Oeste e Norte do Brasil se consolidou, em 2017, como indutora de atividades socioeconômicas sustentáveis. Prova disso é que este será o primeiro evento desportivo brasileiro certificado com a ISO 20121 - Sistemas de Gestão de Eventos Sustentáveis.

Os números foram apresentados durante evento conjunto do Ministério do Meio Ambiente, CBF e FSC Brasil – que assinaram, há oito meses, protocolo de intenções para implantar ações e atividades sustentáveis, além da promoção e do manejo responsável das florestas brasileiras. Para o deputado Vicente Cândido, também diretor da CBF, a participação ativa do ministério fortalecerá ainda mais o alcance e os benefícios da Copa Verde. “É importante também fazermos nosso papel como cidadãos para que consigamos fomentar mais inciativas como esta, que traz uma agenda positiva para o futebol brasileiro”, ressaltou o parlamentar.

Presente na reunião, o ministro Sarney Filho também reconheceu a iniciativa. “Quero parabenizar a CBF, pois com a Copa Verde o País se posiciona como referência em competição sustentável e mostra que o ambientalismo e o desenvolvimento socioeconômico só podem prosperar juntos sob o princípio da sustentabilidade”, destacou. “Ações como esta tem o nosso apoio!”, reiterou o ministro.

copa verde 2