Projetos do deputado Vicente Cândido são destaque em debate sobre dívida dos governos


Dois projetos do deputado Vicente Cândido que tratam da dívida ativa dos estados, municípios e da União tiveram destaque no “11º Congresso Nacional de Recuperação de Crédito”, organizado pela Aserc (Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito) e Secobesp (Sindicato das Empresas de Cobrança de Crédito e Recuperação de Crédito do Estado de São Paulo).

Os projetos (181/15 e 3337/15) estão em  tramitação na Câmara dos Deputados e devem ganhar prioridade no próximo período. As propostas dão novo regramento para a dívida ativa dos estados, municípios e União, que somam cerca de R$ 3,2 trilhões. “Estamos aplicando apenas o princípio do razoável. Não é razoável ter falta de dinheiro em caixa para pagar questões básicas do dia a dia enquanto R$ 3, 20 trilhões estão perecendo”, sublinhou Vicente Cândido.

Uma das principais dificuldades para a cobrança dos ativos é a falta de estrutura. “A medida que a máquina pública tiver estrutura para cobrar pode ser o melhor dos mundos”, avalia .

Dinheiro em caixa - O deputado lembrou que, ainda no governo Dilma, a bancada do PT na Câmara apresentou 15 medidas para a retomada do desenvolvimento econômico, entre elas o repatriação de dinheiro mantido no exterior. “Assim que foi aprovado [o repatriamento], a União recuperou R$ 50 bilhões. Era dinheiro que estava perdido e que deveria ter sido recuperado há muito tempo.”

“Há projetos  de reclassificação do imposto de renda que se fossem aprovados colocariam mais dinheiro no caixa da União, do governos”, garante.

apamagis2